DIAGNÓSTICO ATRAVÉS DO SISTEMA YIN/YANG


DIAGNÓSTICO ATRAVÉS DO SISTEMA YIN/YANG







A partir da desarmonia ou interrupção do fluxo da energia (Yin/Yang) podem-se estabelecer os desequilíbrios endógenos (emoções) e a vulnerabilidade aos agentes agressores externos (frio, calor, umidade, etc.) 

Na medicina tradicional chinesa (MTC) as doenças são vistas como um desequilíbrio causado por agentes externos (vento, secura, calor, umidade e frio) associados a sentimentos ou estados emocionais (raiva, medo, alegria, preocupação e tristeza). 

Por exemplo, o reumatismo é denominado como “doença” do frio da tristeza e da umidade.

A caracterização Yin/Yang é essencial no processo diagnóstico, contudo para ser concluída e, portanto permitir a melhor opção terapêutica que restabeleça o equilíbrio do organismo faz-se necessário identificar os fatores internos (meridianos ou órgãos atingidos) bem como os agentes patogênicos aos quais o organismo está exposto. 

A exemplo seguem-se algumas das características que nos ajudam a identificar a constituição Yin/Yang de cada indivíduo: 

TIPO YANG

♦ Super-alimentação 

♦ Músculos grandes e fortes 

♦ Gordura tipo androide e dura (mais no tórax, peito e abdominal com tendência a inchaços na região abaixo do umbigo). 

♦ Face corada, pele quente, pés e mãos quentes, gesticula com movimentos rápidos 

♦ Respiração forte, voz alta, emoções exaltadas, sudorese (transpiração) abundante. 

♦ Pressão arterial com tendência a ser alta. 

♦ Dorme pouco. 

Tipo YIN: 

♦ Cansa-se com facilidade, pouca força muscular. 

♦ Formação de varizes. 

♦ Prisão de ventre pela diminuição dos movimentos peristálticos, as vezes diarreia. 

♦ Abdômen dilatado por pouco tônus muscular. Mais gordura abaixo da cintura e mais mole. Come pouco, mas engorda. 

♦ Rosto redondo, pele mais fria. 

♦ Tendência a palidez ou pele amarela. 

♦ Voz baixa e suave, introspectivo, introvertido e melancólico. 

Ainda sobre processo diagnóstico e dimensão dos fatores exógenos Lê-se no Nei Ching (clássico da MTC): 

"Quando o Yang é mais forte, as pessoas podem suportar o Inverno, mas não suportam o verão... quando o Yin é mais forte as pessoas podem suportar o verão mas não suportam o Inverno. 

“As doenças Yang acontecem no Inverno e as doenças Yin acontecem no verão.” 

Na MTC o homem é um microcosmo, e como tal, as leis cósmicas atuam nele como o fazem na natureza. Ele tem as suas variações de energia com os seus próprios movimentos e ciclos para assegurar a sua permanência e adaptação. 

Um exemplo claro da percepção chinesa para essa dinâmica é a descrição que assinala o aumento da energia Yin durante a noite e Yang durante o dia. 

Com esta preciosa informação poderemos assim identificar planos de prevenção para o padrão Yin e para o padrão Yang. 

Nas várias ferramentas de auto cura tais como, alimentação Yin / Yang (tabela de conduta alimentar para indivíduos tipo Yin e tipo Yang) e a auto massagem nos pontos de alarme, encontrarão um meio de chegar ao equilíbrio e saúde global. 

Os bons princípios gerais da dietética da medicina chinesa auxiliam o indivíduo a retomar as “rédeas” da sua vida em relação à alimentação, e com isso, regular o seu biorritmo. 

A antítese entre o Yin e o Yang encontra-se em qualquer manifestação, e se expressa principalmente por um condicionamento e uma oposição mútuos. Por exemplo, o verão significa que o calor do Yang está no auge, mas após o solstício de verão o Qi do Yin nasce gradualmente e assim condiciona o Yang dos calores caniculares. O inverno significa o frio do Yin está no máximo, mas após o solstício do inverno, o Qi do Yang renasce e assim condiciona o Yin dos grandes frios. Nesse confronto, deve haver uma vitória e uma derrota, porém, a superioridade de um sobre o outro, sua desordem, vai acarretar a doença. 

Todos os aspectos do Yin e do Yang são assim, o Yin existe pelo Yang, o Yang existe pelo Yin. Cada um dos dois tem o outro como condição de existência. 

Para que uma atividade fisiológica Yang se produza, é necessário consumir matéria nutritiva Yin em um processo de decrescimento do Yin e do crescimento do Yang. Inversamente o metabolismo da matéria nutritiva Yin requer, para ser realizado, a contribuição de uma certa quantidade de energia Yang, segundo um mecanismo em que o Yin cresce e o Yang decresce. 

A parte alta do corpo humano pertence ao Yang e a parte baixa ao Yin, a superfície do corpo ao Yang, o interior ao Yin, a parte dorsal pertence ao Yang, a parte ventral ao Yin, o lado externo pertence ao Yang o interno ao Yin. As seis vísceras Fu são Yang, os cinco órgãos Zang são Yin. 

A causa fundamental do aparecimento e do desenvolvimento das doenças sendo um desequilíbrio Yin Yang, qualquer sintoma simples ou complicado, estável ou móvel, poderá ser referido a um sintoma Yin ou um sintoma Yang. Para uma doença Yang trata-se o Yin, para uma doença Yin trata-se o Yang. 

O Yin e o Yang são duas forças opostas, yin é o lado flexível, frio e yang é o lado forte, quente, dinâmico. O objetivo da macrobiótica é equilibrá-los para promover a saúde e bem estar. 

A alimentação macrobiótica é baseada em uma alimentação rica em cereais integrais, legumes, leguminosas e frutas, tudo sendo equilibrado pelos elementos yin e yang. 


Alimentos Yin: 

centeio, aveia, milho, cevada, berinjela, tomate, pimenta, pepino, espinafre, alcachofra, abóboras, cogumelos, ervilhas, beterraba, alho, couve-flor, lentilhas, pescado, porco, vaca, iogurte, natas, manteiga, margarinas, frutos, mel, açúcares, café, vinho, cerveja, chá verde, pimenta, refrigerantes. 


Alimentos Yang: 

arroz, trigo, alface, repolho, alho-porro, grão-de-bico, rabanete, nabo, cebola, salsa, cenoura, agrião, linguado, atum, salmão, camarão, sardinhas, pato, peru, ovos, leite, queijos, amêndoa, azeitonas, óleos vegetais não refinados, alecrim, vinagre, mostarda, baunilha, açafrão, sal marinho não refinado. 


Seguindo este estilo macrobiótico deve ser excluído o consumo de alimentos de origem animal, porém deve ser retirado aos poucos da alimentação, até que o próprio organismo não sinta mais essa necessidade. Também devem ser excluídos alimentos processados, congelados ou enlatados. Segundo os seguidores deste tipo de estilo de vida, consumir alimentos yin e yang pode influenciar nas características pessoais do individuo, pessoas que possuem alimentação extremamente yang podem adquirir caráter agressivo, impaciente, dominador, ao passo que pessoas que possuem alimentação extremamente yin podem tornar-se pessoas depressivas, dependentes, com comportamento relaxado. 


Sabendo utilizar yin e yang no dia-a-dia todos tem a capacidade de escolher como ressaltar pontos em sua personalidade, tornando-se pessoas mais calmas, tranquilas, sérias ou divertidas. 

Segundo esta filosofia, a quantidade a ser consumida dos alimentos yin e yang depende das características individuais de cada indivíduo. Esta filosofia é baseada apenas em equilibrar o yin e o yang, portanto não considera a distribuição dos macronutrientes, micronutrientes e calorias. 

Uma grande vantagem deste tipo de alimentação é o consumo elevado de fibras, podendo contribuir para prevenção de diversas doenças e contribuindo para o bom funcionamento do intestino. A dieta macrobiótica propõe a cura de doenças físicas, purificando-as, porém muitas vezes acreditando nesta teoria, as pessoas interrompem tratamentos médicos sem orientações, o que pode ser prejudicial. 


Macrobiótica - A arte de prolongar a vida 


Segundo a medicina chinesa, a causa das doenças no desequilíbrio Yin/Yang do organismo. A macrobiótica é um sistema alimentar que harmoniza essas forças energéticas no homem. 


Fundamentada na filosofia do Princípio Único e na Ordem do Universo, a macrobiótica é um sistema alimentar cuja base é o consumo de cereais integrais, legumes e frutas frescas. Suas origens se encontram nas antigas artes curativas dos povos orientais e esse tipo de alimentação era utilizado pelos sábios e mestres para manutenção da saúde e do equilíbrio do homem ¾ a base para ascensão da consciência. 


O japonês Georges Ohsawa foi o responsável pela difusão da macrobiótica no mundo inteiro, e o principal codificador dos antigos métodos alimentares fundamentados na doutrina do Yin/Yang. Ele afirmava que criou o termo “macrobiótica” apenas para designar a ciência milenar, sem nome, da alimentação dialética. 


O interesse de Ohsawa pelo assunto surgiu após a Segunda Guerra Mundial, quando ele foi acometido pôr uma doença incurável para a medicina de sua época. Desenganado, resolveu terminar seus dias no interior do Japão, na casa de uma velha tia tida na família como uma pessoa muito sábia, adepta dos métodos tradicionais de alimentação. 


Depois de alguns meses no interior, esse homem brilhante ensinava o retorno à simplicidade na alimentação, à seleção dos alimentos segundo as leis naturais como base para o aperfeiçoamento da vida e a elevação do discernimento do indivíduo. O mestre chamou a atenção do mundo inteiro para os perigos da alimentação moderna, principalmente para os efeitos maléficos do açúcar branco, dos aditivos (aromatizantes, corantes, conservantes sintéticos etc.), das carnes em conserva. 


Existe por vezes a ideia de que a Macrobiótica e o vegetarianismo se regem pelos mesmos princípios, o que não é verdade - o regime macrobiótico, sendo predominantemente de origem vegetal, não é necessariamente vegetariano, pois o uso de produtos animais (principalmente peixe) é aceitável. Os seus seguidores consideram-na uma alimentação adequada ao meio ambiente, acompanhando o ritmo das estações do ano e respeitando a evolução físico-psíquica e biológica de cada um, bem como o seu próprio nível de discernimento. Esta dieta tem por base as leis naturais que regem o universo e é o reflexo da ordem do universo. 


Os cereais integrais, particularmente o arroz, os vegetais, as leguminosas e algas marinhas são os alimentos básicos da cozinha macrobiótica, obedecendo a sua preparação ao princípio universal Yin-Yang, adequado ao equilíbrio do Homem-Natureza e ao ritmo das estações. Outros alimentos, tais como as frutas e produtos animais, são incluídos em maior ou menor quantidade consoante a época do ano, clima, circunstância e condição ou atividade individuais.